ACOPIARA > CEARÁ > BLOGUEIRO CARLOS DEHON DÁ EXEMPLO E ACREDITA QUE A "VACINA" É O MELHOR CAMINHO PARA ERRADICAR O COVID-19 !!!!!

 

Blogueiro Carlos Dehon e a Secretária de Saúde Fábia Almeida

."O importante neste momento é a vacina"





DESTAQUE INTERNACIONAL > PREFEITO DE FORTALEZA JOSÉ SARTO CONCEDE ENTREVISTA A CNN !!!A CNN fala com o prefeito de uma das maiores cidades do Brasil (FORTALEZA) após apelo de ajuda á comunidade internacional ////

Lula diz que será candidato se necessário para derrotar "um fascista que se chama Bolsonaro"

 16/04/2021 > SEXTA-FEIRA

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou que se candidatará nas eleições presidenciais de 2022 se for necessário. A declaração foi feita depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a anulação das condenações contra ele.

"Se for necessário", serei candidato, para ganhar as eleições de "um fascista que se chama Bolsonaro, um genocida, por ser o maior responsável pelo caos na pandemia", indicou na noite desta quinta-feira, em entrevista ao canal de TV argentino C5N, informa o UOL.

Lula também abriu a possibilidade que a candidatura das forças progressistas e de esquerda seja de outro partido. "Tenho boa saúde, mas não tem, obrigatoriamente, que ser eu. Podemos escolher alguém que possa representar os setores progressistas do Brasil", disse o ex-presidente.



Camilo conversa com Lula após STF anular condenações do ex-presidente e exalta: “luta por Justiça vale à pena”

FOTO DIVULGAÇÃO
Horas depois do Supremo Tribunal Federal (STF) decidir manter, por maioria de votos (8 a 3), a decisão do ministro Edson Fachin de anular as condenações de Luiz Inácio Lula da Silva, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), confirmou ter tido uma conversa com o ex-presidente. Ao anunciar o contato, em suas redes sociais, Camilo vibrou com a decisão da Corte, que devolveu os direitos políticos a Lula, possibilitando que o petista possa disputar as próximas Eleições. “Um exemplo vivo de que toda luta por Justiça vale à pena”, destacou Camilo. Confira o post:
Nos últimos dias, Camilo Santana foi ventilado como um possível nome para ser vice na chapa que teria Lula como candidato a presidente nas Eleições em 2022, em dobradinha petista que enfrentaria Jair Bolsonaro, pretenso candidato à reeleição. Outro cenário apontado para Camilo, ao fim de seu segundo mandato como governador em 2022, é concorrer a uma vaga no Senado.


Sputnik V: o que falta para o recebimento das 5,87 milhões de doses de vacinas adquiridas pelo Governo do Ceará?

FOTO DIVULGAÇÃO
A Sputnik V, vacina produzida na Rússia, é um dos investimentos do Governo do Ceará, e de outros estados do Nordeste, na busca da aceleração da imunização da população. O imunizante, apesar de já estar sendo aplicado em outros 60 países, ainda enfrenta entraves para ser utilizado no Brasil.

Segundo o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações, Renato Kfouri, os estudos da Sputnik V apontam que é uma vacina confiável, mas ainda faltam documentações para a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “É uma vacina que, com os estudos apresentados, vai muito bem”, destaca. “Os estudos de fase 2 e 3 mostraram que a eficácia da vacina é de 90% para a prevenção da covid-19 e os efeitos colaterais são semelhantes às vacinas que já usamos aqui”.

Porém, Renato Kfouri alerta que estes estudos apresentados ainda não são suficientes para garantir a aprovação da Anvisa. Ele destaca que o órgão é responsável por certificar que “os estudos foram bem conduzidos e a fábrica da vacina também cumpre as boas práticas de fabricação”, garantindo a segurança sanitária da população. “Quer comercializar, quer vender no Brasil, tem que apresentar os dados para que a certificação seja válida e o produto possa ser utilizado”, reforça o diretor.
Na última quinta-feira (15), o jornal Valor Econômico publicou um laudo da Anvisa com, pelo menos, 15 pontos críticos sobre a vacina Sputnik V. A Agência destaca a falta de documentações e dados. Além disso, a visita às fábricas da vacina russa, que estava programada para acontecer entre 15 e 21 de abril, foi adiada pelo próprio laboratório para o período entre 19 e 23 de abril.

Além disso, Renato Kfouri lembra que a vacina não enfrenta problemas na aprovação só no Brasil, mas também em outras grandes agências de regulação sanitária, como a norte-americana e a europeia.

Sputnik V no Nordeste

Na última terça-feira (13), o governador Camilo Santana afirmou que o Estado havia entrado com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando a liberação da importação da vacina.

“Já entramos com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), para que a Anvisa, do Governo Federal, autorize a liberação ao nosso estado dos 5,87 milhões de doses da vacina Sputnik V adquiridas de forma direta pelo Governo do Ceará junto ao Fundo Soberano Russo. A Sputnik V já é utilizada em cerca de 60 países, com eficácia de 91,6%, e a atitude da Anvisa é injustificável. Iremos a todas as instâncias possíveis para que as vacinas que adquirimos cheguem o mais rápido possível para imunizar nossa população”, disse Camilo.

Na mesma data, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, respondeu a uma ação parecida do Governo do Maranhão e definiu um prazo de 30 dias para que a Anvisa decida pela aprovação ou não da Sputnik V. Segundo a decisão, após esse prazo o Estado pode importar e aplicar o imunizante, mas deve se responsabilizar pela segurança da população.

Além disso. Renato Kfouri afirma que, mesmo que os governos estaduais tenham negociado diretamente com o Fundo Russo, caso os imunizantes entrem no Brasil, eles devem ir para o Programa Nacional de Imunização. “Qualquer vacina que entrar para o País, quer seja por governos ou rede privada, deve ser colocada em função do sistema nacional de imunização para vacinar todos os brasileiros”, explica o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações.


'Só Deus me tira da cadeira presidencial', diz Bolsonaro sobre eventual processo de impeachment

- O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 5ª feira (15.abr.2021) que apenas Deus pode tirá-lo da cadeira presidencial. Ele reclamou de um prazo de 5 dias que a ministra Cármen Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal), deu ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para que ele explique porque não analisa os pedidos de impeachment protocolados na Casa. “Eu não quero me antecipar e falar o que acho sobre isso aí, mas digo uma coisa: só Deus me tira da cadeira presidencial e me tira, obviamente, tirando a minha vida. Fora isso, o que estamos vendo acontecer no Brasil não vai se concretizar. Mas não vai mesmo. Não vai mesmo”, disse o presidente em live nas redes sociais.

'Só Deus me tira da cadeira presidencial', diz Bolsonaro sobre impeachment

FOTO DIVULGAÇÃO
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) comentou, em live nesta quinta-feira (15), a decisão da ministra Cármen Lúcia em determinar o prazo de cinco dias para que o presidente da Câmara, Arthur Lira, dê explicações sobre não prosseguir com o processo de impeachment do presidente da República.

Bolsonaro leu a notícia veiculada na imprensa nesta semana e afirmou: "Só Deus me tira da cadeira presidencial".

"Cármen Lúcia dá cinco dias para o presidente da Câmara Arthur lira explicar porque não abriu o processo de impeachment contra Bolsonaro. Realmente eu acho que alguma coisa de errado, ou algo de muito errado vem acontecendo no Brasil, vamos ver se procede a informação, tá na mídia agora. Qual o encaminhamento o Arthur Lira vai dar a isso? Vamos encontrar em outro lugar pra discutir isso daí. "Não quero me antecipar, mas só digo uma coisa, só Deus me tira da cadeira presidencial. O que nós estamos vendo acontecer no Brasil não vai se concretizar, não vai mesmo", disse Bolsonaro.

Antes de encerrar a transmissão desta quinta-feira, Bolsonaro leu novamente a nota sobre decisão da ministra e comentou: "Boa noite, fique tranquilo que eu vou dormir tranquilíssimo essa noite e vamos ver o desenvolver dessa notícia do nosso Supremo Tribunal Federal".

O presidente também comentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), desta quinta-feira (15), em anular as condenações do ex-presidente Lula e torná-lo elegível para as eleições presidenciais de 2022.

"Pela decisão do Supremo, hoje o Lula é candidato, faço a comparação dos ministros do Lula para os nossos ministros, se o Lula voltar pelo voto direto, tudo bem, agora veja qual será o futuro do Brasil. Se o Lula for eleito, três meses depois ele vai escolher mais dois ministros para o STF. Acho que a conclusão cabe a todos vocês".

Em live realizada com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, Bolsonaro comparou números entre os governos anteriores e afirmou que a decisão do STF terá influência no Supremo após uma possível eleição de Lula.

"Não estou dizendo que sou o melhor do mundo, mas está previsto eleições para 2022, o Lula vai estar lá, quem seria outro que iria com Lula para segundo turno, é só fazer o raciocínio. Eu até lá já terei 68 anos, já estou no lucro, veja o que o futuro reserva para vocês e o que essa decisão de hoje do STF praticamente anulando as condenações do Lula e mais duas vagas do supremo para o PT", afirmou.

Compra de vacinas 

Jair Bolsonaro falou sobre a conversa vazada pelo senador Jorge Kajuru. Em entrevista à CNN, o senador acusou Bolsonaro de não ter realizado a compra de vacinas da Pfizer ao ser procurado pelo presidente da farmacêutica.

“O Kajuru gravou para a CNN e disse que eu havia dado um chá de cadeira de 10 horas no presidente da Pfizer”. O presidente justificou o que teria acontecido na ocasião. “Porque não compramos de outro laboratório? Porque tinha que passar pela Anvisa, eu não posso comprar uma vacina que será aplicada nas pessoas sem a liberação", disse.

Ação dos governadores

Bolsonaro voltou a criticar as medidas restritivas impostas pelos governos e prefeituras, a fim de conter a disseminação do novo coronavírus no Brasil.
“Sabemos que o auxílio-emergencial é um valor pequeno, mas é o que podemos dar no momento, quem tirou o seu emprego foi o seu governador, quem achar que é pouco, faz uma pressão no seu governador, já que ele fechou tudo e fez saldo de caixa ano passado, ele pode complementar esse auxílio-emergencial para vocês”.
Sobre o tema, Bolsonaro concluiu afirmando que “essa política do fica em casa, esse super poder que o Supremo deu aos governadores e prefeitos, vai ter uma consequência”.


Por que o Brasil ainda insiste em remédios sem eficácia contra Covid-19?

OTO ILUSTRATIVA
Na contramão do mundo, o Brasil segue insistindo no uso de medicamentos sem eficácia contra a Covid-19, e os efeitos mais graves desta aposta perigosa começam a aparecer. O Painel de Notificações de Farmacovigilância da Anvisa registrou, em 2020, um aumento de 128% nas notificações de efeitos adversos por ingestão de medicamentos. A lista é encabeçada por alguns nomes que ficaram bastante populares por aqui durante a pandemia: cloroquina (aumento de 558%), azitromicina (228%) e até a ivermectina, que em 2019 não registrava nenhum caso de efeito adverso e no ano passado registrou 11.

A despeito dos estudos que apontam sua ineficácia, o chamado Kit Covid ainda é usado no Brasil e, embora a cultura da automedicação seja uma das grandes responsáveis, não é a única. Nas últimas semanas, multiplicaram-se as denúncias de médicos das redes privadas demitidos por não prescreverem cloroquina a pacientes.

Neste episódio do E Tem Mais, Monalisa Perrone recebe o farmacêutico e ex-presidente da Anvisa Dirceu Barbano para entender os riscos do uso indiscriminado de remédios sem eficácia contra a Covid-19. Barbano fala também sobre o problema da automedicação no Brasil e a possibilidade de falta de estoque desses medicamentos para outros tratamentos. Também participa do episódio a infectologista Carolina Ponzi, que comenta a insistência de profissionais da saúde em prescrever o Kit Covid e fala sobre o estado clínico de pacientes que chegam aos hospitais doentes pelo uso contínuo desses medicamentos.




LDO 2022 prevê salário mínimo de R$ 1.147 e déficit de R$ 170 bilhões nas contas públicas

FOTO ILUSTRATIVA
O projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (

A proposta da LDO também permite a execução de mais despesas orçamentárias no caso de atraso na sanção da lei orçamentária, incluindo gastos com manutenção de rodovias.

A LDO prevê um déficit de R$ 170,474 bilhões nas contas públicas em 2022, o equivalente a 1,9% do PIB. O déficit é menor do que o de 2020, estimado em 10% do PIB, por causa dos efeitos da crise provocada pela pandemia de coronavírus; e de 2021, previsto em 3,3% do PIB. Em 2020, o governo destinou R$ 632,7 bilhões para o enfrentamento da Covid-19. Alguns gastos passaram para execução em 2021.

De acordo com a LDO 2022, as despesas primárias sujeitas ao teto de gastos serão de R$ 1,592 trilhão. As despesas primárias estão estimadas em R$ 1,621 trilhão, sendo R$ 1,524 trilhão de despesas obrigatórias e R$ 96,674 bilhões em despesas discricionárias.

Já a receita primária para 2022 será de R$ 1,450 bilhão, descontadas as transferências constitucionais. As despesas obrigatórias são pressionadas pelo aumento dos benefícios previdenciários, estimados em R$ 1,525 trilhão em 2022.

Fonte: Agência Câmara de Notícias


Brasil recebe 2,3 milhões de kits de intubação vindos da China

Foto divulgação
Chegou ao Brasil na noite de hoje (15), no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (SP), um lote de 2,3 milhões de kits para intubação de pacientes com covid-19. Os medicamentos foram fabricados em Lianyungang, na China. Os kits, que serão doados para o Ministério da Saúde, são compostos de sedativos, neurobloqueadores musculares e analgésicos opioides – insumos básicos para realizar a intubação.

Os medicamentos foram trazidos ao Brasil e serão doados ao Sistema Único de Saúde (SUS) por um grupo de empresas formado pela Engie, Itaú Unibanco, Klabin, Petrobras, Raízen e TAG, além da Vale, que deu início a ação há duas semanas.

Os 2,3 milhões de kits são um primeiro lote de um total de 3,4 milhões que devem chegar ao Brasil até o final do mês. No total, os medicamentos têm capacidade para serem utilizados em 500 leitos pelo período de um mês e meio. Os itens possuem autorização para importação emitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo o grupo de empresas, a ação foi motivada pelo recrudescimento da pandemia de covid-19 no Brasil e pela escassez de insumos para o atendimento a pacientes em unidades de terapia intensiva (UTIs).

Na terça-feira (13), a Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo (Fehosp) fez um alerta sobre o desabastecimento de anestésicos e medicamentos do kit intubação e considerou o cenário “gravíssimo”.

Os cerca de 160 hospitais que responderam ao levantamento apontaram que os estoques de anestésicos, sedativos e relaxantes musculares tinham, então, em média, de 3 a 5 dias de duração e que os antibióticos também começaram a ficar escassos.

Ministério da Saúde

Em coletiva de imprensa, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que a ação vai reforçar a assistência ao Sistema Único de Saúde (SUS). “A obrigação de adquirir esses medicamentos é de estados e municípios. Todavia, estamos em uma emergência pública internacional e nós temos que tomar as providências necessárias para assegurar o abastecimento em todo o país, principalmente em municípios menores que não têm condições de compra”, disse Queiroga.

Segundo o Ministério da Saúde, assim que chegarem ao Brasil, os medicamentos serão enviados para todos os estados e ao Distrito Federal. “Com base em experiências anteriores, a expectativa é de que em menos de 48 horas os medicamentos sejam distribuídos para todos os estados”, disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz.

Edição: Fábio Massalli


OS GOLS DESTA QUINTA-FEIRA > DESTAQUE PARA A GOLEADA DO VASCO EM CIMA DO FLAMENGO!!!!!

Ministério da Educação divulga hoje resultado do Sisu 2021

O Ministério da Educação (MEC) divulga hoje (16) o resultado do processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre de 2021. A consulta pode ser feita na página do Sisu na internet. A matrícula será de 19 a 23 de abril, em dias, horários e locais de atendimento definidos por cada instituição de ensino.


O processo seletivo do Sisu referente à primeira edição de 2021 vai ocorrer em uma única chamada. Quem não conseguiu uma vaga pode participar da lista de espera. Para isso, o estudante deverá manifestar seu interesse por meio da página do Sisu na internet, no período de 16 a 23 de abril, em apenas um dos cursos para o qual optou por concorrer.

Aquele que foi selecionado na chamada regular em uma de suas opções de vaga não poderá participar da lista de espera, independentemente de ter realizado a matrícula na instituição. Os procedimentos para preenchimento das vagas não ocupadas na chamada regular serão definidos em edital próprio de cada instituição participante.

O Sisu é o programa do Ministério da Educação para acesso de brasileiros a cursos de graduação em universidades públicas do país. As vagas são abertas semestralmente, por meio de um sistema informatizado, e os candidatos são selecionados de acordo com suas notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Neste ano foram ofertadas 206.609 vagas em 109 instituições públicas de ensino superior.

Quem tiver dúvidas pode entrar em contato com o MEC pelo telefone 0800-616161.

Edição: Graça Adjuto


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...