A Prefeitura de Acopiara por meio da Secretaria da Saúde, informa a atualização do Boletim da Covid-19 no município.

Nenhuma descrição de foto disponível.

'Ciclone bomba' deve chegar ao Rio Grande do Sul nas próximas horas


Ciclone bomba assusta sul do Brasil nesta terça-feira (30) - TecMundo

A formação e deslocamento de um ciclone extratropical conhecido como 'ciclone bomba', deve chegar ao Rio Grande do Sul nas próximas horas. O estado deve ter uma terça-feira (30) com muito vento e chuva.
Segundo o meteorologista da Climatempo André Madeira, devido ao fenômeno, que se desloca para o oceano, a região Sul pode registrar rajadas de vento com velocidades de até 100 km/h em algumas cidades. No entanto, ele classifica a ocorrência como parte de 'sistemas relativamente comuns' para esta época do ano.
"São relativamente comuns nesta época do ano, e ocorrem aqui, no litoral do país, na região Sul, principalmente entre maio e setembro. São áreas de baixa pressão que, geralmente, se formam associados à uma frente fria. Também há a possibilidade de neve na Serra Gaúcha na quinta-feira", disse.
"O interessante dele é que o vento gira em torno de centros de baixas pressões no sentido horário, tornando os ventos muito intensos. Uma particularidade dele é que ele tem uma baixa queda de pressão no curto espaço de tempo, por isso este nome", acrescentou ele. 
Madeira explicou ainda que uma das consequências causadas por este ciclone é a formação de ondas, com agitação do mar no litoral do Sul e Sudeste. "Em todo litoral são esperadas ondas de cinco a seis metros. Algo como assoprar uma bacia cheia d'água", exemplificou. 
O fenômeno pode refletir na queda de temperaturas também na região Sudeste do país.
(Edição: Sinara Peixoto)

Carlos Decotelli entrega carta de demissão e deixa Ministério da Educação

O ministro da Educação, Carlos Decotelli, anunciou pedido de demissão nesta terça-feira (30), cinco dias após ser nomeado para cargo pelo presidente Jair Bolsonaro. O agora ex-ministro confirmou a saída à reportagem. A demissão foi a maneira encontrada pelo governo federal para encerrar a crise criada com as incorreções no currículo divulgado por Decotelli.
Para o cargo no MEC, voltaram a ser cogitados o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, o ex-assessor do Ministério da Educação Sérgio Sant'Ana e o conselheiro do CNE (Conselho Nacional de Educação) Antonio Freitas, que é pró-reitor na FGV e cujo nome aparecia como orientador do doutorado não realizado por Decotelli.
Constava no currículo de Decotelli um doutorado pela Universidade Nacional de Rosario, da Argentina. O reitor da instituição, Franco Bartolacci, negou que ele tenha obtido o título, informação antecipada pela coluna Mônica Bergamo. Há ainda sinais de plágio na sua dissertação de mestrado.
Em declaração na noite de segunda-feira (29), após encontro com Bolsonaro, ele negou o plágio e disse que continuava ministro.
Títulos contestados
Em seu currículo, Decotelli escreveu ter feito uma pesquisa de pós-doutorado na Universidade de Wuppertal, na Alemanha, que informou que o novo ministro não possui título da instituição.
Em nota divulgada na noite de segunda-feira (29), a FGV (Fundação Getúlio Vargas) negou que o economista tenha sido professor ou pesquisador da instituição. A informação também constava em seu currículo, inclusive no texto divulgado pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) quando assumiu a presidência do fundo em fevereiro do ano passado.
A nova controvérsia irritou Bolsonaro, segundo assessores, que consideraram sua permanência insustentável.
No Palácio do Planalto, porém, havia um receio sobre a repercussão de uma exoneração. A preocupação era de que uma decisão do presidente pudesse fomentar uma crítica pelo fato de Decotelli ser o primeiro ministro negro da atual gestão. Por isso, a saída considerada ideal seria um pedido de demissão, conforme acabou ocorrendo.
Calos Decotteli foi escolhido para suceder Abraham Weintraub, que deixou o cargo após uma série de polêmicas com o STF (Supremo Tribunal Federal).
A escolha de seu nome ocorreu como forma de dar uma imagem técnica ao MEC. Mas os problemas com o currículo provocaram efeito inverso, ridicularizando o governo, exatamente em um momento de necessidade de um sinal de seriedade com a educação.
Sem posse
Na manhã de segunda-feira (29) a situação de Decotelli ficou fragilizada. A cerimônia de posse, esperada para o dia, foi desmarcada. Com a série de polêmicas, Decotelli perdeu apoio inclusive entre quem o respaldava antes, sobretudo entre os militares.
O professor havia feito parte da transição do governo no grupo, de forte presença militar, que discutia educação. Com a indicação de Ricardo Vélez Rodríguez para o comando da pasta, ele assumiu o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), onde teve uma atuação apagada.
Deixou o cargo em agosto de 2019 depois que o governo negociou a entrega do cargo a nome indicado de partidos como DEM e PP. Rodrigo Sergio Dias seria demitido no fim de 2019 e, após gestão de funcionária de carreira,o órgão voltou para o centrão neste ano.
Cotados
Entre os nomes mais cotados para o cargo, Sérgio Sant'Ana é quem tem ligação mais estreita com seguidores do escritor de Olavo de Carvalho, influente no governo Bolsonaro. Além disso, também é próximo do setor privado de ensino superior. Antes de ingressar no MEC, foi advogado de grupos educacionais.
Além deles, o professor Gilberto Garcia também surge como opção. Garcia foi presidente do CNE, reitor da Universidade Católica de Brasília e da Universidade São Francisco (SP), onde leciona atualmente. Colabora com a campanha a favor de Garcia o fato de ele ser pardo e frei, além de contar com boa articulação com o setor educacional e com políticos.
O núcleo militar passou a defender também o nome do professor Marcus Vinicius Rodrigues, ex-presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), que ajudou na transição do governo.
Com a possibilidade de uma mudança, deputados e senadores passaram a apoiar que a pasta seja comandada por um parlamentar. O nome favorito no Poder Legislativo é o do senador Rodrigo Pacheco (DEM-RO).
Continua no páreo o presidente da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior), Benedito Aguiar, que é evangélico e tem apoio de parlamentares religiosos.
DN

PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO JOSÉ SARTO, ESTUDA COM O COMITÊ ESTADUAL CONTRA O CORONAVÍRUS E O COMITÊ CIENTÍFICO O RETORNO GRADUAL DAS ATIVIDADES PRESENCIAIS!!!

Hoje me reuni com médico epidemiologista Antônio Silva Lima Neto, mais conhecido como Tanta, integrante do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Novo Coronavírus e do comitê científico que assessora o Consórcio Nordeste. Conversamos sobre as medidas preparatórias adotadas na Assembleia Legislativa para um retorno gradual das atividades presenciais, que, reforço, ainda estão sem data definida. Como iniciamos a testagem dos servidores ontem, a partir desses resultados, Tanta nos orientará na construção de um calendário para voltarmos às atividades em nossa sede com um plano que preze, em primeiro lugar, a saúde de todos. Vale lembrar que, além da testagem, estamos também instalando totens com álcool em gel, vamos disponibilizar máscaras e sinalizar a Casa com campanhas educativas e sinalização para manter o distanciamento social, entre outras medidas. @ Assembleia Legislativa do Ceará.
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas, mesa e área interna
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas sentadas
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e área interna
Imagens AL/CE 2020

TERÇO DA MISERICÓRDIA > COM PADRE RUBENS > PARÓQUIA SÃO FRANCISCO > AO VIVO > ACOPIARA > CE!!!!

ACOPIARA > CE > CHEGOU O ENCARTE QUE TODA DONA DE CASA ESTAVA ESPERANDO DA REDE CEARENSE E DO SUPER ALBUQUERQUE > OFERTAS ESPECIAIS QUE IRÃO ATÉ O DIA 12 DE JULHO > CONFIRA O QUE ANUNCIAMOS!!!!

A imagem pode conter: 6 pessoas
Nenhuma descrição de foto disponível.
A imagem pode conter: 2 pessoas, área interna
Nenhuma descrição de foto disponível.

Guedes confirma mais duas parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial

30/06/2020 > TERÇA-FEIRA
Pessoas fazem fila em agência da Caixa para tentar receber o auxílio emergencial
O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou à CNN na manhã desta terça-feira (30) que o governo federal vai prorrogar o auxílio emergencial em mais duas parcelas de R$ 600 cada. 
O anúncio oficial deve ser feito em cerimônia no Palácio do Planalto prevista para as 16h de hoje, com a presença do chefe da equipe econômica e do presidente Jair Bolsonaro.
O montante de cada nova parcela é o mesmo pago pelo governo nas três parcelas iniciais do benefício. Por esse motivo, não será preciso aprovar uma nova lei no Congresso – bastará um decreto presidencial prorrogando.
A prorrogação do auxílio, apelidado de “coronavoucher”, em duas parcelas de R$ 600 vai ao encontro do que defendia o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 
Bolsonaro chegou a anunciar que prorrogaria o benefício em três parcelas decrescentes de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, mas acabou desistindo após resistência de Maia e outros parlamentares.



Planalto aborta posse de novo titular do MEC e já procura substituto

A posse do novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, foi adiada depois de reveladas incoerências em seu currículo, como o registro de títulos de cursos inconclusos. O Governo repensa a permanência dele no cargo.
O presidente Jair Bolsonaro começou a revisitar a lista de cotados para o Ministério da Educação (MEC). Os nomes de Sérgio Sant'Ana, ex-assessor do ex-ministro Abraham Weintraub, e de Renato Feder, secretário de educação do Paraná, voltaram ao centro da discussão na sucessão do MEC.
Para o lugar de Decotelli, a cúpula militar passou a sugerir o professor Marcus Vinicius Rodrigues, ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Já o grupo próximo ao ex-ministro Abraham Weintraub voltou a defender os nomes do secretário de Alfabetização do Ministério da Educação, Carlos Nadalim, e do presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Benedito Aguiar.
Os nomes passaram a ser avaliados mais uma vez depois das notícias sobre informações falsas no currículo de Carlos Alberto Decotelli, nomeado na semana passada para o cargo. O Governo Federal decidiu, ontem (29), adiar a posse do ministro e fazer um pente-fino em sua carreira.
Embora ainda não tenha sido chamado na Presidência, até o meio da tarde, Sant'Ana tem forte apoio da ala ideológica do Governo. O ex-assessor de Weintraub é próximo do secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim, que voltou a ser cotado para a Pasta, e também do filho do presidente, Eduardo Bolsonaro.
Já o secretário do Paraná, Renato Feder, preferiu não comentar sobre as novas movimentações em relação à troca de chefia no MEC. Na semana passada, o nome de Feder ganhou força, mas ele acabou não sendo escolhido pelo presidente. Os militares do Governo apoiam o nome do educador Antônio Freitas, que também estava entre os cotados antes da nomeação de Decotelli, e de Antônio Testa, que chegou a fazer parte do MEC e foi demitido pelo ex-ministro Ricardo Vélez Rodríguez.
Demissão
Segundo interlocutores, a situação de Carlos Alberto Decotelli ficou complicada, e sua demissão está em avaliação.
O mal-estar causado pelo novo ministro levou estresse ao Planalto. O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, chegou a confrontar militares que capitanearam o apoio a Decotelli para o MEC.
O ministro afirmou que tinha doutorado pela Universidade Nacional de Rosário, o que foi desmentido pelo próprio reitor da instituição, Franco Bartolacci.
Além disso, foram encontrados indícios de plágio na sua dissertação de mestrado. Ontem (29), outra distorção no currículo de Decotelli ficou evidente. Mesmo sem ter doutorado, continuava constando na plataforma Lattes um "pós-doutorado", que ele diz ter feito na Universidade de Wüppertal, na Alemanha. A instituição confirmou que Decotelli fez uma pesquisa na universidade em 2016, por três meses, mas destacou não ter emitido qualquer título a ele.
Após encontro com Bolsonaro, o ministro negou que tenha cometido plágio em dissertação de mestrado e disse que continua à frente do cargo. "Eu sou ministro e tenho trabalhado. Agora, vou ficar até a noite para corrigir ajustes no Sisu e no Enem", disse Decotelli na noite de ontem (29).
Em entrevista, na frente do Ministério da Educação, ele relatou que o presidente pediu esclarecimentos sobre informações equivocadas em seu currículo e discutiu novos programas da Pasta.
Bolsonaro disse, em rede social, que há "inadequações" no currículo do ministro, mas que Decotelli tem "capacidade" de ocupar o cargo. "Desde quando anunciei o nome do Professor Decotelli para o Ministério da Educação só recebi mensagens de trabalho e honradez. Por inadequações curriculares o professor vem enfrentando todas as formas de deslegitimação para o Ministério", publicou Bolsonaro.
"O Sr. Decotelli não pretende ser um problema para a sua Pasta (Governo), bem como, está ciente de seu equívoco. Todos aqueles que conviveram com ele comprovam sua capacidade para construir uma Educação inclusiva e de oportunidades para todos", acrescentou o presidente.
DN

Casos de Covid-19 no Ceará chegam a 109.430; mortes estão em 6.087

O Ceará registra 109.430 casos confirmados da Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, e 6.087 mortes em decorrência da doença, segundo dados da plataforma IntegraSUS, atualizados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) até às 20h55 desta segunda-feira (29).
Fortaleza ainda é a cidade com maior circulação do novo coronavírus, acumulando 35.157 casos e 3.273 óbitos pela doença. Em seguida, vêm Sobral, com 6.504 casos e 225 óbitos, e Maracanaú, na Região Metropolitana (RMF). Esta última contabiliza 3.611 casos e 212 óbitos. A letalidade da doença, no momento, está em 5,6%. Em todo o Estado, 62.766 casos suspeitos de coronavírus estão sendo investigados e 269.405 pessoas já foram testadas.
Os dados também mostram que 84.142 pacientes receberam alta hospitalar ou se curaram da Covid-19 até então. A ocupação de leitos de UTI no Estado é de 70,89%, enquanto a de enfermaria está em 42,73%.
Em relação ao último boletim epidemiológico desse domingo (28), quando o Ceará marcou 107.593 resultados positivos para a Covid-19 e 5.995 mortes, o acréscimo em 24 horas foi de 1.837 novos casos e 92 óbitos. 
No entanto, os números apresentados pela Sesa fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, o que não corresponde necessariamente à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.
DN 

Brasil poderá ter distribuição de vacina de Oxford contra a Covid-19 em janeiro de 2021



É uma meta, mas ainda que esteja no campo das perspectivas, trata-se da pesquisa mais promissora até o momento no mundo: a realizada pela Universidade de Oxford em parceria com diversas instituições brasileiras. Em fase de testes em seres humanos no Brasil e no Reino Unido, a vacina de Oxford foi considerada pela OMS a candidata com melhor desenvolvimento dentre as mais de cem em andamento. Os resultados preliminares entre outubro e novembro serão decisivos para a distribuição de uma vacina contra o coronavírus já de dezembro deste ano para janeiro de 2021. Mas existe a possibilidade de que primeiras aplicações na população possam ser feitas antes mesmo da finalização dos estudos, trazendo a perspectiva ainda para 2020. É o que a prevê a Maria Augusta Bernardini, diretora-médica da AstraZeneca Brasil. A empresa farmacêutica, com sede no Reino Unido, já está num esforço “de guerra” para a produção de bilhões de vacina nos próximos meses, uma vez se comprove eficácia da que está em estudo.
É uma meta, mas ainda que esteja no campo das perspectivas, trata-se da pesquisa mais promissora até o momento no mundo: a realizada pela Universidade de Oxford em parceria com diversas instituições brasileiras. Em fase de testes em seres humanos no Brasil e no Reino Unido, a vacina de Oxford foi considerada pela OMS a candidata com melhor desenvolvimento dentre as mais de cem em andamento. Os resultados preliminares entre outubro e novembro serão decisivos para a distribuição de uma vacina contra o coronavírus já de dezembro deste ano para janeiro de 2021. Mas existe a possibilidade de que primeiras aplicações na população possam ser feitas antes mesmo da finalização dos estudos, trazendo a perspectiva ainda para 2020. É o que a prevê a Maria Augusta Bernardini, diretora-médica da AstraZeneca Brasil. A empresa farmacêutica, com sede no Reino Unido, já está num esforço “de guerra” para a produção de bilhões de vacina nos próximos meses, uma vez se comprove eficácia da que está em estudo.
Diário do Nordeste

Ganhadores de Nobel pedem que vacinas sejam para todos


Teste da vacina contra a doença de coronavírus (COVID-19) na Tailândia

O arcebispo sul-africano Desmond Tutu e o ator George Clooney estão entre as mais de 100 personalidades que assinaram um apelo para que as eventuais vacinas contra o novo coronavírus sejam declaradas como bem comum global e amplamente disponibilizadas.
O apelo é liderado pelo fundador do movimento de microcrédito Muhammad Yunus, ganhador do Prêmio Nobel da Paz assim como Tutu. Segundo Yunus, algumas empresas farmacêuticas declararam que as vacinas serão proporcionadas primeiro a países ricos da Europa e aos Estados Unidos.
"O que acontece com o resto do mundo? É como se o resto do mundo fosse ser esquecido", disse o criador do Centro Yunus, estabelecido há mais de uma década para combater a pobreza.
"Esta é uma vacina que é necessária para 8 bilhões de pessoas. O que acontece com os pobres? O que acontece com países pobres que não podem pagar os preços que eles estarão cobrando nos países ricos"?
Atualmente, não existe vacina contra a covid-19, mas mais de 100 estão sendo desenvolvidas em todo o mundo, à medida que as farmacêuticas estão correndo para combater uma pandemia que já matou mais de 500 mil pessoas.
Especialistas preveem que o desenvolvimento de uma vacina segura e eficiente pode exigir de 12 a 18 meses.
Callum Mackenzie, diretor da Yunus Tailândia, alertou que, assim que isso tiver acontecido, as dificuldades para obtê-la podem levar a uma proliferação de vacinas falsas em países mais pobres.
A farmacêutica britânica AstraZeneca já iniciou testes com humanos de uma vacina desenvolvida com a Universidade de Oxford. A vacina custaria cerca de US$ 2,8 por dose na Europa, de acordo com o Ministério da Saúde da Itália, e a empresa não espera lucrar com ela durante a pandemia.
Agência Brasil

ENEM encerra, nesta terça-feira, 30, votação para adiamento



Os inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 ainda podem participar da votação para a escolha da nova data do exame, adiado devido à pandemia de COVID-19. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibilizará a enquete até o dia 30 de junho, na Página do Participante, para que os inscritos contribuam, de forma voluntária, escolhendo uma das opções apresentadas, com o adiamento das provas em 30, 60 ou 180 dias das datas previstas nos editais. 
Confira as opções de datas:
Enem impresso: 6 e 13 de dezembro de 2020 / Enem Digital: 10 e 17 de janeiro de 2021
Enem impresso: 10 e 17 de janeiro de 2021 / Enem Digital: 24 e 31 de janeiro de 2021
Enem impresso: 2 e 9 de maio de 2021 / Enem Digital: 16 e 23 de maio de 2021
Os inscritos que desejarem contribuir com uma das três sugestões deverão seguir o passo a passo:
Acessar a Página do Participante.
Fazer o login (CPF e senha) no portal gov.br.
Clicar em "Enquete".
Escolher a opção com a data desejada.
Clicar em "enviar" para confirmar.
Finalizado o processo, a contribuição será computada. Com a iniciativa, o Ministério da Educação (MEC) e o Inep buscam dar oportunidade de participação aos interessados no processo de definição do melhor período para a realização das provas e garantir transparência na execução do exame. No total, 5,8 milhões de pessoas estão inscritas no Enem 2020.
Resultados – Para os participantes que solicitaram recurso para atendimento especializado e/ou tratamento pelo nome social, os resultados individuais estarão disponíveis nesta quinta-feira, 25 de junho, na Página do Participante.
Canais oficiais – As informações a respeito do Enem 2020 podem ser acompanhadas nos portais do MEC e do Inep, assim como nas redes sociais oficiais dos dois órgãos do Governo Federal. Dúvidas relativas ao processo de inscrição podem ser sanadas pelo Fale Conosco, por meio do autoatendimento on-line ou do 0800 616161 (somente chamadas de telefone fixo).

Prazo para entrega das declarações do IRPF 2020 termina nesta terça-feira, 30

Termina hoje, dia (30) o prazo para a entrega de declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2020. 
Este ano, a expectativa é de que 32 milhões de contribuintes acertem as contas com o Leão.
Em todo o país, cerca de 5,5 milhão de contribuintes ainda não entregaram a declaração. A Receita Federal não vai mais prorrogar o prazo. Quem não entregar será multado.

Prefeitura de Juazeiro do Norte lamenta informar mais quatro óbitos por coronavírus no município

A Prefeitura de Juazeiro do Norte, por meio da Secretaria da Saúde, lamenta comunicar que foram confirmados mais quatro óbitos por coronavírus no município. Ao mesmo tempo, solidariza-se com os familiares dos pacientes. 
Os óbitos ocorreram no dia 27 de junho. Trata-se de um homem, de 58 anos, com esquizofrenia e diabetes; uma mulher, de 77 anos, com doença cardiovascular crônica; um homem, de 79 anos, com diabetes e hipertensão; e um homem, de 64 anos, com doença cardiovascular crônica. 
Até a tarde desta segunda-feira (29), o Município notificou 12.395 pacientes, dos quais 04 são casos suspeitos que aguardam os resultados dos exames, 9.544 casos descartados e 2.847 casos confirmados. Entre os pacientes confirmados há 55 hospitalizados, 1.723 em isolamento domiciliar, 988 que já estão recuperados, e 81 óbitos. 
Com a ampliação da realização de testes rápidos, que está acontecendo em mais quatro Unidades de testagem, além da Unidade Sentinela, estão sendo detectadas mais pessoas infectadas, o que possibilita as orientações quanto ao isolamento domiciliar e quanto ao tratamento adequado à necessidade de cada caso.
A Prefeitura Municipal, alinhada com as medidas do Governo do Estado do Ceará, segue desenvolvendo ações de enfrentamento à pandemia do coronavírus, ampliando estruturas de atendimento e reforçando a necessidade do isolamento social mais rígido para barrar o avanço da transmissão da doença. A população deve adotar todos os cuidados preventivos para evitar que mais pessoas sejam infectadas.

Camilo diz que retomada gradual da economia pode regredir se casos de Covid-19 voltarem a crescer

O governador Camilo Santana afirmou que o processo de retomada da enconomia no Ceará pode regredir de fase caso a populção não respeite o isolamento social e os casos de Covid-19 voltem a subir no estado. O anúncio foi feito na tarde desta segunda-feira (29), por meio das redes sociais.
"Tenho alertado que a situação não é de normalidade. A epidemia continua. O cenário ainda é de preocupação. Tenho visto imagens de aglomerações injustificáveis. É preciso responsabilidade. Se não houver consciência de todos, os números da Covid podem voltar a subir e o Processo de Retomada Econômica não avançará, podendo, até mesmo, regredir e negócios serem novamente fechados, o que não queremos que ocorra", alertou o chefe do executivo.
Apesar de reafirmar a importância da economia para o estado, Camilo fez um apelo à população para que seja respeitado o isolamento social, alertando para que as pessoas só saiam de casa quando houver necessidade.
"A economia é importante, as pessoas precisam voltar a trabalhar, mas muita gente está ignorando os alertas e colocando sua vida e a dos outros em risco. Essa luta só será vencida se todos colaborarem. Só saia de casa quando for necessário, e sempre usando máscara. Somente juntos iremos vencer essa pandemia", finalizou.
O Ceará ultrapassou 6 mil mortes decorrentes da Covid-19 nesta segunda-feira (29). Os dados foram repassados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) às 16h13, por meio da plataforma IntegraSUS. Ao todo, já são 6.076 óbitos. O Estado contabiliza ainda 108.225 casos confirmados da doença.
Fortaleza permanece como município com maior acúmulo de casos confirmados e óbitos pelo coronavírus, com 35.081 e 3.276, respectivamente. Na Região Metropolitana, as cidades de Caucaia (3.551 casos e 275 mortes) e Maracanaú (3.563 casos e 211 mortes) lideram em diagnósticos.
Nas regiões norte e sul do Estado, Sobral (6.404 casos e 225 mortes) e Juazeiro do Norte (1.564 casos e 85 mortes) registram as maiores taxas de infectados, sendo a cidade da região norte a segunda com maior número de casos, ficando atrás somente da capital.
Os dados do IntegraSUS também mostram que 83.670 pacientes receberam alta hospitalar ou ficaram livres da doença até o momento.
Ao todo, já foram aplicados 265.744 testes para identificar pacientes com a Covid-19. Outros 61.895 casos estão a espera dos resultados e permanecem em investigação. No Ceará, a letalidade da doença é de 5,6%. Ainda segundo o IntegraSUS, 12 mortes foram registradas nas últimas 24 horas.
Os números apresentados pela Secretaria, porém, fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, o que não corresponde necessariamente à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.
A taxa de ocupação dos leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e das enfermarias estão em 74,37% e 44,45%, respectivamente.
Fonte: Diário do Nordeste

União Europeia exclui Brasil de lista de 14 países "seguros" com permissão de entrada de visitantes



A União Europeia excluiu o Brasil da lista de 14 países considerados "seguros", considerando o controle da pandemia da Covid-19, para autorizar o ingresso de seus cidadãos em seu território a partir de 1º de julho, à medida que reabrir suas fronteiras aos países de fora para reativar o turismo. Isso significa que o bloco poderá impedir a entrada de turistas brasileiros.
Além do Brasil, EUA e China também ficaram de fora da lista. Entre os países "seguros", estão Austrália, Canadá, Japão, Marrocos e Coreia do Sul.
Completam a lista de países "seguros" a Argélia, Georgia, Montenegro, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Tailândia, Tunísia e Uruguai.
Os Estados Unidos são o país com o maior número de casos de coronavírus em termos absolutos. O Brasil é o segundo país mais castigado pela pandemia.
Fonte: Diário do Nordeste

Serviço de renegociação de dívidas da Serasa passa a ser oferecido em agências dos Correios



O serviço de renegociação de dívidas realizado pela Serasa pode ser feito, agora, em qualquer agência dos Correios em todo País. A iniciativa passa a valer a partir desta segunda-feira (29). Os acordos serão realizados diretamente nos guichês de atendimento.
Para negociar uma dívida é preciso ir até uma agência dos Correios levando CPF ou um documento com foto e pedir no balcão para acessar o serviço Limpa Nome do Serasa. O tempo médio total do atendimento até a impressão do boleto para pagamento é de 2 a 5 minutos.
Segundo a Serasa, os descontos podem chegar a 90% do valor total do débito.
A ação conta com várias empresas, entre bancos e companhias de seguro. A lista do Serasa Limpa Nome inclui Santander, Itaú, Recovery, Ativos, Net, Claro, Embatel, Anhaguera, Credsystem, Ipanema, Unopar, Sky, Nextel, Banco BMG, Digio, Hoepers, Porto Seguro, Tricard, Oi, Zema, Unic, Fama, Pitágoras, Uniderp, Unime.
“Estar em mais de 7 mil endereços espalhados pelo país é estar mais próximo da população. Sabemos que nem todos os consumidores possuem internet e essa parceria irá ajudar a suprir essa necessidade. O Serasa Limpa Nome é a maior plataforma de renegociação de dívidas do Brasil e sem dúvida fica ainda mais forte com essa nova opção de atendimento”, disse Pedro Dias Lopes, Diretor da Serasa.
Serviços disponíveis nos Correios:
Serasa Limpa Nome
Valor por dívida negociada: R$ 3,60*
Valor por acordo (impressão de 2º via de boletos): R$ 2,60*
Consultas
Meu Serasa (AutoConsulta) – R$ 14,00*
Você Consulta (Pessoas e empresas) – R$ 21,60*
* Os valores indicados são referentes à taxas administrativas.

Hospital de Campanha terá 120 leitos e será finalizado até a sexta-feira, 3 de julho

O Hospital de Campanha de Combate ao Coronavírus terá 120 leitos clínicos e até sexta-feira, 3, será finalizado em Juazeiro do Norte, para receber os pacientes da Covid - 19. Antes, a proposta era entregar 80 leitos, mas com a desativação dos leitos do Hospital e Maternidade São Lucas para atendimentos de outras demandas de casos de saúde, houve a decisão de centralizar os atendimentos relacionados ao Coronavírus no Hospital de Campanha e na Unidade de Combate ao Covid – 19, que já vêm sendo realizados na Lagoa Seca, no prédio da UPA.
Com isso, a ampliação possibilitará uma condição mais confortável para ofertar os atendimentos. Nesta terça-feira, 30, será iniciada a instalação dos aparelhos de ar-condicionado e das camas.
O Secretário de Saúde do Ceará, Dr Cabeto, visitou juntamente com o prefeito Arnon Bezerra, o deputado Pedro Bezerra, e os profissionais de saúde, as instalações de montagem do novo hospital, dentro das ações urgentes de enfrentamento à Covid – 19.
Amaury Alencar

ACOPIARA > BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO NA TERRA DO LAVRADOR

Nenhuma descrição de foto disponível.
DADOS: SECRETARIA DA SAÚDE DE ACOPIARA

EVANGELHO DO DIA COM PADRE CHICO SILVEIRA (ÚLTIMO DIA DO MÊS DE JUNHO)

30/06/2020 > TERÇA-FEIRA

AL inicia preparativos para retomada gradual das atividades presenciais

AL inicia preparativos para retomada gradual das atividades presenciais
A Assembleia Legislativa do Ceará iniciou, nesta segunda-feira (29/06), os preparativos para a retomada gradual das atividades presenciais da Casa, ainda sem data para ocorrer. Entre as medidas de segurança estão a realização de testes rápidos, sinalização com orientações preventivas e de distanciamento e instalação de totens com álcool em gel. Portaria da Mesa Diretora da Casa prorrogou o ponto facultativo na AL até 5 de julho, dando continuidade às ações de prevenção da propagação do novo coronavírus.
O presidente da Assembleia, deputado José Sarto (PDT), reforça a intenção de fazer um retorno gradativo e responsável. Para ele, a testagem de servidores, iniciada nesta segunda, será fundamental para detectar casos, especialmente os assintomáticos, prevenindo novos contágios nos espaços da Casa.
"Ainda que não tenhamos uma data para o retorno efetivo, estamos preparando as condições para que tudo aconteça da forma mais segura para deputados, servidores, terceirizados e público visitante. Esse momento exigirá adaptação de todos nós, e não poderemos descuidar das medidas preventivas, como usar máscaras, higienizar sempre as mãos e evitar aglomerações", afirmou.
A retomada das atividades na sede do Parlamento ocorrerá com número reduzido de servidores, que receberão informações sobre a jornada de trabalho e atuarão em regime de revezamento. O home office também será mantido nos casos avaliados como adequados. Servidores que integram o grupo de risco e aqueles que estiverem apresentando sintomas respiratórios serão preservados e deverão permanecer em casa, seguindo as recomendações dos organismos de saúde.
O deputado Evandro Leitão (PDT), primeiro secretário da AL, reforça que o retorno gradual precisa do trabalho preventivo que está sendo realizado, como a testagem dos servidores do Poder Legislativo.
"Essa etapa vai nos mostrar como poderemos retomar os trabalhos presenciais sem colocar em risco a saúde das pessoas. Além dessa testagem, outras medidas serão tomadas na Casa para garantir a segurança de todos", disse. O parlamentar reforça que as sessões remotas garantiram o funcionamento das atividades legislativas durante o período de isolamento rígido tão necessário para preservar a vida da população cearense.
MEDIDAS DE PREVENÇÃO
No processo de preparação para a retomada, todos os prédios da Assembleia passaram por sanitização. Para a volta gradual das atividades, a Casa disponibilizará máscaras de proteção e realizará ações educativas, com cartazes em pontos estratégicos e sinalizações indicando distanciamento. No primeiro momento, o atendimento ao público externo continuará suspenso.
Neste primeiro momento, gabinetes, órgãos e demais departamentos da Assembleia chamarão para a testagem número limitado de funcionários, somente o necessário para o funcionamento das atividades, priorizando os que já estão em trabalho presencial.
A orientação é que os trabalhadores aguardem contato de seus gestores, informando data, horário e local para a testagem. Os exames estão sendo realizados sob agendamento prévio pelos gestores, evitando aglomerações.

Nesta segunda-feira, estão sendo testados funcionários lotados em gabinetes parlamentares. Na sequência, servidores de órgãos da Casa e outros setores serão chamados para fazerem o teste rápido imunocromatológico. O exame fornece informações sobre IGG e IGM, que apontam, respectivamente, a existência de infecção ativa e se o paciente já teve a doença e produziu anticorpos.
A testagem está sendo realizada em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi). Para fazerem os testes, os servidores assinam termo de consentimento, fazem cadastro laboratorial e respondem a um breve questionário sobre a situação de saúde e medidas de isolamento que vêm adotando.
A enfermeira do trabalho do Sesi, Ângela Monic, explica que o teste é feito a partir de amostra de sangue coletada com um furo no dedo, semelhante ao exame de glicemia. O resultado sai em um intervalo de 15 minutos a duas horas e é enviado por mensagem de texto ao celular dos pacientes. O laboratório é responsável por fazer as notificações junto à Secretaria Estadual da Saúde (Sesa).
SA/CG/com Assessoria de Imprensa

Congresso prorroga vigência da MP do benefício emergencial por mais 60 dias

Atualização> Ás 17:46
O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), prorrogou a vigência da Medida Provisória 959 por mais 60 dias.
A MP, editada em 29 de abril deste ano, estabelece a operacionalização do pagamento do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda e do benefício emergencial mensal. O ato que estende a validade da MP está publicado no Diário Oficial da União desta segunda-feira, dia 29.
Fonte: Estadão

Planos de Saúde terão que pagar testes para coronavírus



A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu incluir, no rol de procedimentos obrigatórios a serem atendidos por planos de saúde, os testes para confirmação de infecção pelo novo coronavírus, que causa a covid-19. A Resolução Normativa 458, de 2020, que inclui os exames laboratoriais, foi publicada hoje (29) no Diário Oficial da União.
As pesquisas de anticorpos IgA, IgG ou IgM serão obrigatórias para os planos de saúde nas segmentações ambulatorial, hospitalar (com ou sem obstetrícia) e referência, nos casos em que o paciente apresente ou tenha apresentado alguns quadros clínicos.
A inclusão dos exames no rol de procedimentos obrigatórios para planos de saúde foi tomada em reunião colegiada da ANS na semana passada, em cumprimento a uma decisão judicial.

ACI oficia senadores cearenses sobre votação do projeto de lei das fake news














A Diretoria Executiva da Associação Cearense de Imprensa (ACI) oficiou, neste sábado (27/06), os senadores Cid Gomes (PDT), Eduardo Girão (PODE) e Tasso Jereissati (PSDB) acerca da tramitação do projeto de lei 2.630/2020, conhecido como “PL das fake news”, que está na pauta de votação do Senado Federal do dia 30 de junho de 2020, para discussão e votação. Na ocasião, a entidade informou aos parlamentares ter se manifestado em apoio à nota da Coalizão Direitos na Rede, que reúne quase 40 entidades, emitida nesta sexta-feira (26/06). 
A Diretoria Executiva da Associação acompanha a tramitação da proposta com o cuidado que o tema requer e, desta forma, entende que as observações feitas pela Coalizão devem ser levadas em conta pelos senadores quando da votação da matéria.
Nos ofícios, a ACI solicita que Cid Gomes, Eduardo Girão e Tasso Jereissati sejam sensíveis aos pontos expostos na nota emitida pela Coalizão Direitos na Rede – e que, desta maneira, o documento seja relevante na definição de como cada um votará relativamente ao projeto na sessão do Senado Federal no próximo dia 30 de junho.
Segue, abaixo, a íntegra da nota da Coalizão:
Nota da Coalizão Direitos na Rede sobre o adiamento da votação do PL 2.630/2020
Pautado no plenário do Senado para esta quinta (25), o PL 2.630/2020 (“PL das fake news”) teve sua votação adiada para a próxima terça-feira (30). A medida decorreu de inúmeros pedidos de parlamentares por mais tempo para avaliar o texto do relator, senador Ângelo Coronel, cuja última versão foi divulgada minutos antes do início da sessão.
Um prazo maior para discussão do texto foi também pleito de diversos setores da sociedade: empresas de Internet, organizações acadêmicas e da sociedade civil – entre elas a Coalizão Direitos na Rede – e também entidades internacionais, que se somaram à campanha por compreender os riscos que o relatório trazia. Todos querem uma legislação que enfrente de fato a desinformação, mas sem infringir direitos fundamentais.
A última versão do relatório trouxe mudanças positivas em pontos problemáticos do texto, fruto dessa intensa pressão social. Em linha com as preocupações sobre violação de privacidade, abuso na coleta de dados pessoais, desrespeito à presunção de inocência e aumento da exclusão digital, o relatório protocolado na tarde de quinta abrandou, por exemplo, a exigência de documento de identificação de todos os cidadãos para uso de redes sociais. Mas o ponto segue problemático, na medida em que a solução dada pelo relator permite a identificação em massa de usuários a partir de requisitos genéricos, como simples denúncias.
Também continuam no texto uma série de previsões intrusivas, que cerceiam direitos fundamentais, como a coleta em massa de registros de encaminhamentos de mensagens e a vinculação entre um número ativo de telefone celular e o uso de aplicativos de mensageria, que prejudica a inclusão digital e também afeta a privacidade dos usuários.
Além da permanência de riscos discutidos anteriormente, foram incluídas no texto, de última hora, propostas até então inéditas, disparando novos alertas de preocupação.
O artigo 12, inciso II, por exemplo, agora determina que as redes sociais deverão excluir imediatamente qualquer conteúdo vinculado a “prática de crimes”. A medida forçará Facebook, Instagram, Youtube, TikTok, Twitter, entre outras, a remover fotos, vídeos e textos mediante qualquer dúvida de que os mesmos possam configurar crimes, a fim de evitar punições. Vale lembrar, por exemplo, que entre os casos enquadrados ficariam os crimes de violação de direito autoral e de apologia ao crime, de maneira que o novo relatório obriga as plataformas a fazer análise de conteúdo e remover de imediato.
O mesmo artigo também reduz o prazo de contestação de usuários a eventuais remoções de conteúdo pelas plataformas com base em critérios genéricos e não positivados na legislação brasileira. E, ao mencionar as atribuições do Conselho de Transparência e Responsabilidade na Internet, o relatório também requer aprimoramentos para que não traga de volta riscos de lesão à liberdade de expressão e ao acesso à informação no PL.
Ainda, no artigo 19 do novo relatório, o senador Angelo Coronel, atendendo a um pleito dos grandes meios de comunicação, obriga as plataformas a remunerar tais veículos por direitos autorais e “uso de conteúdos”. Além de ser um tema alheio aos últimos meses de debate e à própria questão do enfrentamento à desinformação, a proposta trata como simples remendo uma regulação merecedora de debate muito mais amplo e profundo.
Importante destacar que, embora o adiamento da votação confira mais tempo para debate, até o dia 30 haverá um novo relatório do senador Coronel. O problema é que o presidente do Senado já vetou a apresentação de novas emendas ao novo texto. Ou seja, corre-se o risco de uma versão diferente do PL ir a voto na próxima terça-feira sem debate com todos os setores e sem que ajustes, sempre necessários, possam ser feitos pelo conjunto dos parlamentares.
A Coalizão Direitos na Rede segue no esforço que vem desenvolvendo há dois meses em torno deste PL. É preciso, sim, combater a desinformação e impor às plataformas digitais maior transparência, mas sempre garantindo os direitos de todos os cidadãos e cidadãs que usam a Internet. Esperamos que o tempo adicional de discussão aberto pelo Senado Federal seja utilizado com responsabilidade, para reconsideração e solução dos graves perigos para o uso livre e democrático da Internet e não para inclusão de novas medidas até agora não aprofundadas. Como temos dito, o enfrentamento à desinformação não poder ser pretexto para instituição de medidas sem efetividade comprovada e que coloquem em risco direitos fundamentais da população.
Roberto Moreira

Ciro: “Não é uma coisa injusta agradecer ao presidente Bolsonaro”

Ciro Gomes fez um comentário, durante live com o deputado Guilherme Landim (PDT), sobre a entrega da obra da Transposição do Rio São Francisco para o Ceará: "Não é uma coisa injusta agradecer ao presidente Bolsonaro".
O ex-ministro Ciro Gomes deu início à obra, quando ministro da Integração Nacional. Brigou com governadores, que se diziam donos do São Francisco; lutou contra opositores no Judiciário, aprovou todo o projeto junto aos órgãos ambientais, fez toda topografia e garantiu os recursos. 
Agradecer ao presidente Bolsonaro por uma obra de quatro governos é natural para Ciro Gomes. Concluir totalmente será importante e manter o canal funcionando é outro grande desafio.

TERÇO DA MISERICÓRDIA AO VIVO DIRETO DA PARÓQUIA SÃO FRANCISCO < ACOPIARA > CE >

Adiamento de eleições municipais deve ser votado nesta semana, diz Maia

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira (29) que a decisão sobre o adiamento das eleições municipais de 2020 será votada ainda nesta semana.
“A decisão de votar precisa acontecer nessa semana, até porque temos o prazo de 4 de julho, que é muito importante. São milhares de servidores públicos que pretendem disputar eleição, muitos na área da saúde, que precisam da informação para tomar sua decisão”, disse Maia ao lado do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) e do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP).
A data citada por Maia diz respeito ao dia em que passam a ser vedadas algumas condutas de agentes públicos, como a realização de nomeações, exonerações e contratações, assim como transferências de recursos.
Ele afirmou que está dialogando para construir o apoio necessário para que a medida seja aprovada na Câmara. “Ainda estamos longe disso, mas a intenção é chegar na quarta-feira (1º) com a solução para esse tema.”
Maia explicou que a reunião em São Paulo faz parte de uma iniciativa para dialogar de forma mais próxima com prefeitos e governadores para ajudar a definir a pauta da Câmara no segundo semestre.
“A gente está vendo que a questão do transporte é uma tema urgente, que vai precisar de uma ação e muitos prefeitos têm demandado essa pauta, a importância de encontrar um caminho junto com o governo federal e o Congresso, para que a gente não pare os serviços, a mobilidade das pessoas nos grandes centros urbanos”, disse.
Ele disse também que a queda de arrecadação e o aumento das despesas em decorrência da crise causada pela pandemia de Covid-19 é outro tema que será tratado pelo Congresso.
“Sempre tenho dito que, numa crise dessa proporção, é sempre a esfera federal que tem a obrigação de organizar com prefeitos e governadores. É o único ente que pode emitir dívida, tem as condições de coordenar esse trabalho.”


Testes de vacina contra Covid-19 mostram completa eficácia, diz grupo chinês

29/06/2020 > SEGUNDA-FEIRA
O grupo farmacêutico chinês China National Biotec Group (CNBG) informou neste domingo (28), que uma vacina contra o novo coronavírus em desenvolvimento pela empresa se mostrou capaz de imunizar todas as pessoas que receberam as doses. Participaram desta etapa 1.120 indivíduos, sendo que todos produziram anticorpos contra o vírus causador da Covid-19.
"Com referência a produtos similares no passado, combinados com dados humanos existentes, sugere-se inicialmente que a nova vacina desenvolvida seja segura e eficaz", diz o texto publicado pela CNBG na rede social chinesa WeChat.
Na nota, o grupo também disse ter construído uma fábrica em Pequim com capacidade de produzir até 120 milhões de unidades da vacina a cada ano.
Fonte: Estadão

Prefeitos incapazes e população imprudente; Crajubar aumenta 3.350 casos em 1 mês




Pela primeira vez, o Governo do Ceará estabelece isolamento social rígido em Crato, Juazeiro e Barbalha ao mesmo tempo. O decreto do dia 27 prevê, em tese, que essa semana será de menos movimentação de pessoas nas três cidades. O Crajubar, para tanto, foi exemplo de má gestão pública e falta de consciência da população no último mês.
Isso porque dados das secretarias de saúde apontam um espantoso aumento de 851% no números de casos nas três cidades em cerca de 30 dias. Isso ocorreu, no entanto, mesmo com decretos municipais, previsão de multas, barreiras sanitárias e isolamento de alguns espaços públicos.
Os números observados mostram que não foi efetivo. Tanto a fiscalização ineficiente quanto a falta de consciência coletiva nas três cidades, colocou o Crajubar como ponto de preocupação no estado. Com isso, prefeitos agora precisam correr contra o tempo e mostrar uma habilidade até então inexistente.
Números
No dia 29 de maio, Juazeiro do Norte tinha apenas 261 casos confirmados. Crato, na mesma data, informou 70 e Barbalha 63 casos. No relatório de ontem, dia 28 de junho, o salto é impressionante: Juazeiro 2.609 casos, Crato 770 e Barbalha 369. Um aumento de 3.354 casos em um mês, totalizando 3.748 pessoas infectadas até agora.
Para conter o avanço da pandemia no Crajubar, no entanto, era preciso que uma ação conjunta fosse tomada desde o início. Não fazia sentido, por exemplo, ter barreiras ou decreto de isolamento rígido apenas em uma das três cidades. Os municípios são interdependentes e formam um conjunto.
Hoje pela manhã as entradas das cidades já tinham barreiras. É preciso também refletir sobre elas. Ao passo que causam congestionamentos, deve mensurar qual a real efetividade de bloquear os veículos que trafegam nas estradas que interligam o Crajubar. Mais que isso, antes mesmos de coibir os carros, é urgente fiscalizar os pedestres.
Estes, sim, aglomeram-se principalmente nos bairros periféricos, e agem muitas vezes como se não houvesse decreto. Como por exemplo na última sexta-feira, dia 26, na feira de animais. Apesar do decreto municipal, pessoas se aglomeraram na tradicional feira na rua Domingos Sávio. No local não havia fiscalização da prefeitura, nem avisos ou regras para distanciamento.
É notório que a economia informal é a que mais sofre com isso. Sem fluxo de clientes, os pequenos comerciantes, autônomos e agricultores precisam de "salvação". isso deve partir dos governos em todos os âmbitos. Nos municípios, cabe ao prefeito coibir o movimento nas ruas e, com isso encurtar o período de reclusão.
Por Felipe Azevedo
Miséria.com.br

Ceará confirma 107.593 casos da Covid-19; mortes pela doença chegam a 5.995